{Resenhando #118} Eu estive aqui - Gayle Forman

Eu Estive AquiTítulo: Eu estive aqui
Autor: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 240
*Livro cedido pela editora para resenha
Eu Estive Aqui - Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.
Que os livros relacionados a suicídio estão fazendo sucesso no mundo inteiro, não tem como negar. Mas será que a quantidade de livros desse gênero não deixa tudo maçante? Eu acreditava que não. De tantos livros que li com essa temática, encontrei várias coisas que me surpreendiam e eu pensava que todos conseguiam ser singulares de alguma forma. Então eu tive minha primeira experiência com o livro da Gayle Forman. E ai, que morte horrível!

Cody e Meg eram melhores amigas desde sempre. Compartilhavam sonhos e desejos de viverem sempre juntas. Não existia segredos, angústias, amores e tristeza que ambas não comentavam entre si. Bom, isso era o que Cody achava até receber um e-mail talvez um pouco desmotivador e péssimo de Meg. A melhor amiga havia se suicidado em um motel de "beira de estrada" e com veneno.

Cody sempre viveu mais com a família de Meg do que com a própria. Na verdade, a denominação "família" sempre foi muito pesada pra ela, que viveu com sua mãe, a qual dificilmente se comportava como uma. A imagem de perfeição, portanto, cabia à família de sua melhor amiga exercer. A sua amizade com Meg sempre foi aquela amizade que todos olham e pensam "vai durar pra sempre", mas ninguém nunca notou que Cody, ás vezes, se sentia ofuscada pelo brilho natural de Meg. Talvez isso também seja um dos motivos para ela ter se afastado da melhor amiga quando a mesma foi morar em outra cidade. 

Meg nunca teve medo de seguir seus sonhos e arriscar. Ela, uma garota forte e cheia de felicidade para dar e vender. Isso era o que todos achavam, até a sua melhor amiga. Mas o que a levou, então, para o suicídio? O que estava acontecendo em sua vida que ela insistia e deixar às escuras de todos? 

Quando Cody é convidada pelos pais de Meg para limpar o seu quarto na república onde morava, algumas coisas começam a parecer estranhas: a casa tinha todos os tipos de pessoa, desde drogados até nerds com vários computadores. Por que Meg estaria em um lugar daqueles? Será que ela estava gostando do local? Alguma pessoa ali podia ter alguma relação com a sua morte? A cabeça da amiga começou a funcionar a mil, e, depois que ela acessou ao computador que pertencia a Meg ela teve certeza: Ela estava escondendo alguma coisa terrível. E escondeu não só da família, mas também de Cody. E por quê?
Supostamente, eu era a melhor amiga dela, e não sabia nada disso, porque ela não me contou. Ela não me contou que achava a vida um sofrimento insuportável. Eu não fazia a menor ideia.
Cody então parte em busca de respostas para suas perguntas sobre a morte da amiga, e quanto mais a fundo ela passa a se envolver com tudo isso, mais ela percebe que de fato, nunca entendeu a amiga. Ou simplesmente nunca a conheceu. 

No meio disso tudo ela conhece um ex-ficante de Meg, Ben. Um cantor que aparenta fazer o que quiser com qualquer mulher. A desconfiança cresce mais ainda quando o mesmo fica em choque quando citado o nome de Meg. E ele? Será que teve algo com tudo isso? Como se não bastasse o envolvimento na vida da a miga, Ben passa a ocupar a cabeça de Cody de uma forma diferente, de um jeito que ela nunca havia sentido até então. 

Em um mar de suspense e mistério, Gayle Forman conduz o leitor a uma leitura que te fará repensar sobre tudo, mas principalmente, sobre o pedido de socorro que muitas pessoas podem estar pedindo com uma arma fatal - o silêncio. Há também um gancho para a conscientização de que, na internet, você consegue encontrar tudo. Principalmente algo negativo que pode colocar à prova a vida de alguém. E acrescentando mais: o livro foi um ótimo meio de reconhecer as profundidades do psicológico humano, mesmo que de uma maneira um pouco simplória demais. 

Agora vocês por favor, deem uma olhada nessa resenha e pensem comigo: Como não gostar de algo assim? E eu consegui essa proeza. A construção da história foi impecável, a autora conseguiu conduzir o psicológico dos leitores até o dos próprios personagens, mas se tem uma coisa que eu tive com esse livro foi: sono. 

Os sentimentos de Cody, muitas vezes opostos simultaneamente, não me convenceram. Eu não consegui sentir o amor que ela devia ter pela amiga, e muitas vezes isso me fez crer em uma história superficial e rasa. 

Várias partes são aparentemente forçadas, como se a autora quisesse que realmente acreditássemos naquilo que ela propunha, mas com um teor muito pouco "provável". O que foi uma pena, pois com esse enredo, o livro tinha tudo para emplacar. 

Essa foi a minha primeira experiência com a Gayle Forman. Estou procrastinando a leitura de "Se eu Ficar", há mais de ano, por ouvir várias críticas negativas a respeito. Então definitivamente, ele vai esperar mais um pouco pra ser lido.
Mas, em compensação, conheço uma LEVA de pessoas que amam os livros da autora. Que são apaixonados pela sua escrita e pelos seus personagens. Ou seja, a minha opinião pessoal -muito provavelmente- não vai ser igual a sua. É válida a tentativa de leitura para todos. O livro é curto, e mesmo que cansativo, consegue envolver o leitor. 

Recomendado para quem curte uma história cheia de mistérios, superações, amizades e morte.
"Você tinha um monte de pedras nas mãos, então resolveu limpá-las, deixá-las bonitas e fez um colar. Meg ganhou um colar de joias e se enforcou com eles."
Classificação:

Bom gente, espero que vocês tenham gostado.
Gostou? Compare e compre aqui!
Não deixem de comentar!

Beijos,
Mar!


14 comentários

  1. Oi, Mar. Nossa, 2 estrelas?! Eu estou bem ansioso com a leitura do livro. Mistérios, suspense e morte é comigo mesmo, haha. Realmente os livros com temas suicidas estão num tremendo sucesso. Espero gostar bastante da leitura de eu estive aqui.

    ResponderExcluir
  2. eu ja li, mas sabe aquela história que te marca que você não consegue expressar bem em palavras?
    a autora tem o poder de tratar de questões tão forte com um jeito singelo, ao mesmo tempo que trabalha sentimentos em seus personagens, desperta reações no leitor!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não li nada da autora, mas já vi que ela é ótima. Vendo essa resenha, pude perceber que o livro, além de conter mistérios, que eu adoro, faz com que o leitor reflita sobre a vida. Isso foi o que eu mais gostei do livro. Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  4. Oi Marcela, adorei essa resenha, deu vontade de ler o livro. Gostei do jeito que voce escreve. Já estamos te seguindo!
    http://pausaparapitacos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Bom, ainda não li o primeiro e acho que nem vou ler. Não sei, mas qdo as sinopses não me agradam prefiro as adaptações… o que vai ser o caso dessa série se houver as sequências.
    E fora o comentários de que se emocionaram, choraram e eu to correndo de livro triste.

    ResponderExcluir
  6. apesar de só ler elogios sobre a escrita da autora, ainda nao li nenhum livro dela, gostei desse e fiquei muito curiosa pra ler, o tema me interessa bastante.

    ResponderExcluir
  7. Tenho uma curiosidade muito grande de conhecer a escrita de Gayle Forman, pois vejo opiniões diversas, assim quero ter minha própria opinião e espero sinceramente que eu goste.
    Gostei muito da proposta da obra, o drama deve ser envolvente e tocante, curto demais fazer leituras de livros assim. Por isso quero dar uma chance a essa obra.
    Abçs Mar!!

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Gosto dos livros da Gayle Forman e adorei a capa desse, mas essa historia não me conquistou não gosto de historia muito triste e dramáticas e costumo evitar e esse livro em especial não conseguiu me interessar !!!

    ResponderExcluir
  9. Oi
    eu faço parte do time que não curte muito a escrita da Gayle,os personagens dela não me convencem e eu acabo frustrada.Esse livro até me interessou pelo mistério envolvendo a morte de Meg mas não pretendo o ler futuramente.
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Geralmente goste de histórias recheadas de mistério, mas o enredo dessa não me agradou não...

    ResponderExcluir
  11. ba eu adorei esse livro... a capa quase me fez desistir (sim, sou dessas), mas daí a história me pegou e eu não consegui ficar sem terminar e saber o desenrolar... achei triste, mas fiquei envolvida com tudo.
    também achei pouca amizade das meninas, mas, achei bem condizente com a vida real, as pessoas mudam, se afastam, e aquele lance de conto de fada de amigas infelizmente também na maioria das vezes não é assim que acontece.

    http://brisaliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Primeiramente vim te parabenizar pela resenha. Eu já li esse livro e é simplesmente perfeito. Lindo demais.

    http://www.meumundosecreto.com.br/

    ResponderExcluir

Não deixem de comentar e, claro, deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir!