{Resenhando #101} Geek Girl - Holly Smale

Geek GirlTítulo: Geek Girl
Autor: Holly Smale 
Editora: Fundamento
Páginas: 256
*Livro cedido pela editora para resenha
"Meu nome é Harriet Manners e sou uma geek." Harriet Manners tem 15 anos e sabe tudo... sobre quase tudo. Ela só não sabe porque ninguém na escola parece gostar dela - especialmente sua arqui-inimiga Alexa, que adora humilhá-la todos os dias. Harriet só queria que sua vida fosse diferente... Quando Nat, sua melhor amiga, a arrasta para fazer compras num evento badalado, Harriet é descoberta por uma agência de modelos. É a grande chance de recomeçar! Mas tem um pequeno detalhe: Harriet não conhece nada sobre moda. Na verdade, ela não "Dá a mínima para a moda". E, claro, tem a Nat, que é linda, fashionista e sempre quis ser modelo. Seria como roubar o sonho da sua melhor amiga, não é? Harriet decide fazer uma sessão de fotos com o famoso - e incrivelmente lindo! - Nick, mas esconde a verdade e mente para as pessoas que ama. O que ela não esperava é que no dia seguinte essas fotos fossem estar nas capas de todas as revistas de moda! Em meio a muitas confusões, Harriet descobre que ser modelo não é nada fácil... Afinal de contas, também existem "Alexas" nas passarelas. Será que Harriet vai gostar do mundo da moda? Ou melhor, será que o mundo da moda vai gostar dela?
Algumas pessoas acham que a inteligência é melhor que o desembaraço. Você pode ser quieta, antissocial, mas se for inteligente e tiver um QI bom, está valendo. Já outras pessoas acreditam que a inteligência não torna o ser humano o "melhor do mundo", o que vale mesmo é o contato com outras pessoas. Conversar, rir, ter amigos e tudo isso. No mundo literário, vários autores gostam de defender os inteligentes usando o termo "geek". Não está certo -como também não está errado. Geek significa ser uma pessoa com interesses científico, tecnológico, estudiosa e que tenha como única falha: não ligar para as aparências. 

Harriet é uma Geek. Você não precisa passar 10 minutos com ela para perceber isso. É caseira, troca qualquer coisa por um livro ou um estudo. No colégio, seus amigos limitam-se a Nat. A mesma é apaixonada por moda e seu sonho é seguir a carreira de modelo, completamente opostos uma da outra. Porém, o destino é engraçado: Em uma viagem escolar com olheiros de agências de modelo, ambas acabam tomando um banho de vômito e suas roupas ficam imundas. Nat, que tinha escolhido sua melhor roupa para chamar atenção, termina o dia com uma blusa masculina e com o cabelo cheirando vômito. Harriet, mesma coisa. Um diferencial: Os olheiros repararam em Harriet. Sim, a nossa geek.
" Eu sei um bocado sobre histórias e mágica, graças ao hábito de ler montes de livros e também de participar de um fórum na internet. E a regra mais básica é que tem que ser surpresa. Ninguém pulou dentro de um guarda-roupa para encontrar Nárnia; eles pularam lá dentro pensando que era só um guarda-roupa. "
Agora a garota de 15 anos terá que decidir: Viver uma vida glamourosa, mudar de vida, entretanto perder a melhor amiga, ou continuar sofrendo bullying no colégio e vivendo na monotonia? 

Eu amei esse livro não pelo fato de contar uma história chamativa. Mas eu consegui, só de ler a sinopse, saber o que a autora conseguiu enviar por trás: você não precisa mudar, apenas se aceitar. Quem disse que a sociedade precisa ser padronizada? Que você precisa fazer exatamente o que o outro faz? E, várias vezes, isso acaba influenciando na escolhas de vida. Harriet tem a chance de provar ao mundo quem ela é de verdade. - muito mais do que sua inimiga, Alexia, acha dela -horrorosa, nojenta e geek. 

Algumas escolhas chegam para mudar nossa vida, e é nosso dever aceita-las ou não. Pode ser que seguimos para o caminho errado, mas pode ter certeza: você sempre terá a chance de recomeçar. 
Em Geek Girl, Holly Smale mostra que uma amizade verdadeira vai muito além de qualquer circunstância e se você quiser, nada poderá atrapalhar. 

Quando a vida de Harriet começa a seguir um novo caminho, ela acaba tendo vários encontros "por acaso" com Nick. O romance constituído entre eles não são assumidos e eles não criam uma relacionamento. Acredito que esse primeiro livro tenha sido o encaminhamento para o próximo livro da série, onde, espero, a história dos dois continuará. 
"É a primeira e única regra. A mágica vem quando você não está procurando por ela."
Os personagens secundários constroem um cenário único para esse livro: São muito engraçados, vivos e espontâneos. A escrita da autora corre tão bem e tão rápido, que acabei este livro em questão de horas. E não é corrido, é apenas como ela deve ser. Me apeguei muito com alguns personagens: Harriet, por querer mudar a imagem que tem dela, e seu pai, por simplesmente ser destrambelhado e um homem que te envolve. 

Uma leitura leve, descontraída e perfeita para quem quer sair de uma ressaca daquelas doídas. Risadas garantidas, junto de muitos sorrisos bobos. E não achem que Geek Girl é para garota e criança. É para todos. A diversão é garantida independente da sua idade.

Classificação:
Bom gente, é isso!
Espero que tenham gostado da resenha.
Foi muuuito difícil de fazê-la, sério! Eu gostei tanto do livro que tive certa dificuldade em me expressar, mas espero que tenham gostado do resultado!
Gostou? Compre diretamente no site da editora: clique aqui.

Não deixem de comentar!
Beijos,
Mar!

24 comentários

  1. Confesso que a primeira vez que vi esse livro não coloquei muita fé kkk Achei que fosse bem bobinho mas parecer ser bem legal e divertido.. Vou adicioná-lo na minha lista sem fim kkk

    Beijos ;*
    LivreandoFacebook

    ResponderExcluir
  2. Que resenha mais linda!
    Adorei saber que a mensagem do livro é essa… Isso me interessou muito! Espero logo ter a chance de ler e me divertir com a Harriet. Sei que quererei entrar na história e torcer para que faça as melhores escolhas. :) Eu acho que estereótipos nunca revelam quem somos… Mas na adolescência "precisamos" deles. São as nossas "tribos". Geeks, hippies, bad boys, patricinhas… São os grupos que nos ajudam a entender quem somos, mas ao mesmo tempo faz parte do processo de amadurecimento aceitar o momento no qual vamos entender que podemos ser QUEM QUISERMOS sem precisar seguir uma norma pré-estabelecida de qualquer grupo. Pode parecer tolo, mas é perfeitamente natural (e deve acontecer) esse movimento: integrar-se a um grupo, adaptar-se a ele, para então dele se tornar independente. O problema reside no instante em que o adolescente não tem força para fazer isso; no instante em que ele se torna dependente da aprovação do outro.

    COM CERTEZA, lerei esse livro! :D

    Beijos, flor!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Tinha interesse nesse livro antes mesmo do lançamento aqui então estou bem curiosa apesar de às vezes me irritar com personagens adolescentes KKKK fiquei curiosa pra qual lado ela vai seguir :)

    ResponderExcluir
  4. Não fazia ideia que se tratava de uma série!Fiquei decepcionada!Hoje em dia é muito difícil achar livros únicos,tudo tem que virar série,isso está me irritando bastante ultimamente.Tem histórias que poderiam mto bem fechar com um livro só.
    Desabafos a parte rsss achei a história bem interessante.Tinha pensado em dar uma chance,mas agora vou pensar mais um pouquinho.
    Bjus

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Ainda não conhecia o livro, mas você fez uma propaganda tão boa dela que já quero comprar. Adorei a temática do livro, acho que é algo muito importante ensinar para as garotas que elas não precisam mudar para serem aceitas, para se encaixarem em padrões de beleza e tal; elas precisam se amar da forma que são, isso é o mais importante. Mas, durante a adolescência, nós ficamos muito suscetíveis às influências externas, entramos em guerra contra os nossos corpos, os nossos comportamentos e pensamentos. É ótimo saber que existem autoras dispostas a mudarem isso.

    Bjos!

    2surrealistas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu achava que esse livro seria bem fraquinho... mas nossa sua resenha me surpreendeu.. mesmo parecendo bem leve e divertido, parece que ele acaba levando para alguns questionamentos um pouco mais profundos..

    ResponderExcluir
  7. Oi! Não sei, não consegui gostar desse livro. Parece ser muito do mesmo que já vi, talvez ele não me pareça agradável porque estou em uma fase diferente de leitura, algo mais complexo e não me agradei pela capa.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Pensei que não ia gostar da premissa, mas depois da resenha mudei de ideia.
    Amo livros assim, clichês e super divertidos, e já li alguns livros com esse estilo de narrativa, é muito bom!

    ResponderExcluir
  9. Hey
    Lendo a resenha, achei o maior clichê. Pensei: "uma pessoa inteligente, antissocial, poucos amigos, inimigos e etc... Que original". Até eu ler a parte em que ela é descoberta por olheiros. Mesmo não achando, também, uma ideia inédita, achei que a história pode seguir um caminho bem divertido. ADOREI a sua resenha. Você realmente colocou sentimento e senti muita vontade de ler.

    Abs

    ResponderExcluir
  10. Ahh, agora bateu dúvida. O livro (a capa e o nome) me atraíram bastante. Mas tipo... uma Geek nas passarelas? Hmmmm, melhor não! Deve ser bem estranho, e não, não é preconceito ou algo do tipo, só achei meio bobo isso. Muito bobo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Se for pelo pensamento dos autores, eu sou geek :B riariaria eita.
    Enfim, o livro é meio clichezinho mas um clichê bom. Passa um ensinamento válido.

    ResponderExcluir
  12. Eu tenho um pé atrás com livros que tenham como personagens principais adolescentes... tudo tende a ser um drama e isso me irrita. A resenha foi bem legal, mas ainda não sei se encararia a leitura.

    ResponderExcluir
  13. Não sei se me interessei pelo livro. Digamos que as mensagens que a autora passa são ótimas e super válidas, mas estou com um pé atrás em relação a esse livro. Ele parece bem clichê, ainda mais com personagens adolescentes... sei lá, acho que falta um quê para eu me interessar pelo livro.

    ResponderExcluir
  14. Adorei o livro! E seu comentário sobre o livro foi exatamente o que eu pensei lendo a sinopse. Achei o enredo bem diferente e chamativo. E assim como você, o que mais gostei no livro foi a mensagem que o livro passa!
    E só pra constar, a resenha está ótima, adorei!

    ResponderExcluir
  15. Oiii, eu adorei a resenha, ela é realmente muito boa. Bom, sobre o livro eu confesso que tenho um certo preconceito quanto este tipo de livro, pois acho e sei que ele é mais para o publico feminino. então não tenho muito o que falar dele. Apenas gostei da capa. Ah, sobre você achar que não conseguiu expressar tudo, sinto a mesma coisa quando gosto muito de um livro. bjs.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Marcela.
    Parabéns pela resenha, ela conseguiu me despertar o interesse em ler o livro. Já o conhecia, mas tinha um percepção errada sobre ele, mesmo não tendo lido a sinopse, achava ser um livro bobo. Que bom que li sua resenha e mudei completamente a minha opinião. Gostei muito da mensagem passada por ele sobre como as escolhas mudam nossa vida e sobre amizade verdadeira.
    Todavia, o que me arrebatou de vez nesse livro foi o último quote que você colocou. Amei a frase.

    ResponderExcluir
  17. Apesar da trama não ser nada original, fiquei com vontade de ler, pois me amarro em livros com essa pegada mais leve e divertida. Só acho que esse tipo de livro não seria necessário ser uma série. Ou poderia até ser, mas que fosse uma daquelas que não seria necessário ler todos os volumes em sequência.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  18. Oi marcela tbm ameei a historia mtoo legal, deve ter uma loçao de vida bastante aproveitadora rsrsr, amo ,livros divertidos e com um toque de romace fora a lealdade da amizade tudo isso misturado deve ser lindooo.. gostei mtoo..

    ResponderExcluir
  19. Oi, Ma! Não tinha ouvido falar desse livro ainda, mas parece ser daqueles que eu gosto. Achei a história da protagonista interessante, um pouco parecida com a minha em certos aspectos, pelo que você colocou na resenha. Adoraria ler Geek Girl! Beijo

    litteraturamundi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Não conhecia ele, mas essa resenha me fez querer ler.
    A historia envolve amizade, gostar si mesmo e escolhas. Bom saber que é historia leve, mas que ao mesmo tempo com temas fortes.

    Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. Oi Mar, tudo bem?
    Já tinha lido outras resenhas de Geek Girl mas a sua está muito boa. Achei bem interessante a personagem ter quebrado esse estereotipo ridículo, o livro realmente parece bom e tem uma ótima premissa.
    Abraços
    http://www.ler-e-ser-feliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. AIIIII QUERO MUITOOOOOO!!!
    Sou um pouquinho só nerd kkkkkk
    e confesso que não é fácil, o povo diz "vc é nerd, mas é mto inocente" kkkkkkk
    aii não gosto disso, não!
    Mas eu quero ler esse livro, pelo fato de mostrar (pelo que vc nos contou) que geek, nerd, o que for, também é gente, tem talento, beleza, glamour, felicidades, etc., merecem tudo de bom iguais aos metidinhos arrogantes de plantão!
    rsrsrs me irritei agora, porque sei que isso existe muitoooo. O bullying desse tipo é imensamente comum, e devemos através da literatura, e até outros meios, divulgar a loucura que é esses preconceitos!
    bjooos

    ResponderExcluir
  24. Ainda não li esse livro, mais confesso que quando vi a capa do livro achei que a história não seria nenhum pouco envolvente. Mas depois de ler resenhas e a sinopse logo me atraí pela história e agora estou super curiosa para saber o rumo que Harriet vai tomar.

    ResponderExcluir

Não deixem de comentar e, claro, deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir!